O Museu Bispo do Rosario Arte Contemporânea apresenta o terceiro ciclo de Interfaces: arte e saúde mental, série de encontros online idealizados pela atriz e diretora Jessica Barbosa, como parte da programação do Projeto Arte.Vital, no mês de outubro. 

Interfaces é um espaço de encontro e troca entre Jessica Barbosa e artistas, pesquisadores, profissionais e usuários de saúde mental que atuam nesta convergência entre arte e saúde mental. O projeto é parte da sua residência artística no programa Casa B (mBRAC), onde desenvolve “Em Busca de Judite”, em parceria com o ator, músico e diretor Pedro Sá Moraes. 

A abertura será na quarta-feira, dia 7 de outubro às 18 horas, no canal do Youtube do Museu Bispo do Rosario. Teremos a honra de receber o ator, diretor, produtor Hilton Cobra, fundador da Cia Comuns, que além de sua longa e importantíssima trajetória nas artes cênicas, foi presidente da Fundação Palmares/MINC, e ganhador de diversos prêmios, dentre eles a peça “Traga-me à cabeça de Lima Barreto”.

 

Veja a programação completa:

 

  • 07/10 – Hilton Cobra 
  • 14/09 – Rogéria Barbosa 
  • 21/10 – Jessica Gogan
  • 28/10 – Pedro Sa Moraes e Diana Kolker 

Abertura (07/10) – Uma conversa sobrea a peça teatral ”Traga-me a cabeça de Lima Barretor”, do ator e diretor Hilton Cobra.

Teremos a honra de receber o ator, diretor, produtor Hilton Cobra, fundador da Cia Comuns, que além de sua longa e importantíssima trajetória nas artes cênicas, foi presidente da Fundação Palmares/MINC, e ganhador de diversos prêmios, dentre eles a peça “Traga-me à cabeça de Lima Barreto”.

Nos romances, Lima Barreto retratava a vida nos subúrbios, as ruas, bares, costumes e tradições populares. Lima Barreto dizia que a sua literatura era “militante”: combatia o racismo, a violência contra a mulher e a psiquiatria manicomial. 

O ponto de partida será Lima Barreto, sua história e produção artística no contexto de sua época. Jéssica (Em busca de Judite) e Cobra (Traga-me à cabeça de Lima Barreto) vão trocar também, sobre seus processos criativos em teatro, contando sobre os desafios e principalmente sobre a importância da arte para pensar saúde mental da população negra nos dias de hoje.