Fundação Bispo do Rosário

Polo

Com a finalidade de estimular, ampliar e solidificar redes sócioafetivas e culturais, os Centros de Convivência surgiram com a reforma psiquiátrica para promover encontros entre os usuários da rede de saúde mental e a comunidade.

Administrado pelo Museu Bispo do Rosário Arte Contemporânea, o Polo Experimental de Convivência, Educação e Cultura surge para, a partir da convivência, integrar ações culturais da Colônia em um antigo pavilhão remodelado e transformado que abriga as atividades da Escola Livre de Artes – ELA, Casa B – Residência Artística, Atelier Gaia, o projeto de geração de renda Arte, Horta & Cia e o programa de lazer Pedra Branca.

O equipamento permite um intercâmbio entre os projetos e é estratégico para as ações de educação, reinserção social e diálogo com a comunidade e com a classe artística, consolidando-se como fomentador de cultura e facilitador da autonomia e melhoria das condições de seus frequentadores.

Seu programa é focado em ações culturais e sociais para a inserção e pertencimento social. No Polo, são exercidas práticas artísticas de referência para o estudo e o intercâmbio cultural, buscando a integração da comunidade, de usuários da rede de saúde mental e de artistas.

A instalação Como Eu Devo Construir o Muro no Fundo da Minha Casa, do artista Daniel Murgel, está situada no Polo.
O Polo e suas atividades podem ser visitadas e compõem o Circuito Cultural Colônia. Confira a programação completa em www.museubispodorosario.com/polo

Escola Livre de Artes – ELA

A Escola Livre de Artes – ELA oferece à comunidade um espaço integrado de convivência e aprendizagem, através de um sistema regular gratuito de ensino da arte voltado a diferentes faixas etárias, contribuindo para a formação cultural. A ELA, na sua programação anual, organiza saídas culturais, encontros com artistas convidados e mostras de trabalhos dos alunos. Além do seu objetivo de formação, a ELA possui um papel de inclusão social através da arte ao possibilitar a integração de públicos diversos.

Casa B – Residência Artística

A Casa B – Residência Artística é um programa de domicílio de artistas visitantes que desdobram suas pesquisas através do diálogo com a comunidade e com outros programas desenvolvidos pelo mBrac.
A residência surge pela vocação artístico-cultural da Colônia que registrou na sua história a passagem de importantes artistas como Arthur Bispo do Rosário, Ernesto Nazareth, Stela do Patrocínio, entre outros anônimos que nunca foram conhecidos ou nunca deflagraram o seu processo de criação.
Pensando em estimular essa vocação artística e estabelecer uma via de diálogo entre o trabalho artístico produzido pelos participantes dos programas do Polo e artistas contemporâneos, a Casa B – Residência Artística divulga anualmente convocatórias e editais.

Atelier Gaia

O Atelier Gaia é um espaço de arte e criação que, através da construção de um pensamento estético, estimula a prática artística e profissional de seus frequentadores. É composto atualmente de artistas residentes da Colônia que, em outrora, foram internos do antigo sistema manicomial e hoje possuem sua autonomia garantida com o advento da reforma psiquiátrica. É um importante programa para diálogo e produção artística e busca desenvolver uma lógica de funcionamento através da capacitação do fazer artístico visando impulsionar o ingresso de seus artistas no mercado da arte.

Arte, Horta & Cia

O Arte, Horta & Cia é um programa de geração de renda, voltado para usuários da rede de saúde mental, seus familiares e a comunidade em geral, que visa desenvolver ações que estimulem a reinserção social através do trabalho. Baseia-se em noções do cooperativismo e estabelece uma relação diferenciada com o mundo do trabalho, desenvolvendo possibilidades de criação de um cotidiano mais digno, empoderando os sujeitos, trabalhando suas singularidades e alargando suas autonomias, num espaço de trocas, convivências e trabalho.

Lazer Pedra Branca

Lazer Pedra Branca é um programa de atividades sócioculturais que integram usuários da rede de saúde mental, seus familiares e a comunidade. A proposta reforça a ideia do direito ao lazer e do pertencimento social, buscando estimular a vivência crítica, cidadã e criativa do lazer como instrumento de transformação social. Através da realização de atividades de circulação pelo bairro, pela cidade, pelo estado e mesmo para outros estados do Brasil, incentiva apropriação dos espaços urbanos.

noticia

Resultado da Convocatória 2016 da Casa B Residência Artística